quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Informação Profissional da Mara



Olá e Hello!

Serve agora este espaço também para vos comunicar que o meu programa em Portugal, destinado a Aulas individuais e em grupo e Workshops de Inglês, Francês e Português para Estrangeiros, sofre para já uma paragem, visto me encontrar a trabalhar na Comissão Europeia, em Bruxelas.



Bom Ano Escolar para todos e até breve!

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

A Mara tem uma grande novidade para vos contar

DIVULGAÇÃO

Olá e Hello!

Tenho o prazer de vos apresentar o meu novo espaço destinado a Aulas individuais e em grupo e Workshops de Inglês, Francês e Português para Estrangeiros!

Adoraria receber-vos no meu espaço, 
na Rua João Lúcio de Azevedo, 53, 1º andar, escritório 27
(ao Arroba Café, após a Igreja da Areosa/Porto, ao lado da Vets&Pets).

Preparem-se para novidades fresquinhas e eventos únicos muito em breve!

Atividades únicas na nossa mui nobre cidade do Porto, com muito Inglês à mistura! 

LET'S HAVE FUN WITH ENGLISH!!!

A vossa amiga e professora,

Mara Rodrigues


(Deem uma espreitadela!)



sábado, 29 de dezembro de 2012

Dentro dos possíveis, Feliz 2013 para TODOS !




HISTÓRIA ANTIGA 


Era uma vez, lá na Judeia, um rei.
Feio bicho, de resto:
Uma cara de burro sem cabresto
E duas grandes tranças.
A gente olhava, reparava e via
Que naquela figura não havia
Olhos de quem gosta de crianças.

E, na verdade, assim acontecia.
Porque um dia,
O malvado,
Só por ter o poder de quem é rei
Por não ter coração,
Sem mais nem menos,
Mandou matar quantos eram pequenos
Nas cidades e aldeias da nação.

Mas, por acaso ou milagre, aconteceu
Que, num burrinho pela areia fora,
Fugiu
Daquelas mãos de sangue um pequenito
Que o vivo sol da vida acarinhou;
E bastou
Esse palmo de sonho
Para encher este mundo de alegria;
Para crescer, ser Deus;
E meter no inferno o tal das tranças,
Só porque ele não gostava de crianças.

Poema de Miguel Torga

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

NATAL 2012... Teatro e Poesia








A "pureza" do NATAL 

Sobre a palha loura
Dorme, a rir, Jesus: 
Tudo a rir se doura 
De inocente luz. 

Há no olhar etéreo 
Do boisinho lento 
Sonhos de mistério 
Num deslumbramento... 

Chegam pegureiros: 
Chegam-se ao redor, 
Tal e qual cordeiros 
Para o seu pastor. 

Anhos que vêm vindo 
Põe-se a meditar: 
Que zagal tão lindo 
Para nos guiar. 

Ajoelham magos, 
- Êxtase profundo!... 
Com os olhos vagos 
No Senhor do Mundo... 

E a banhada em pranto 
Mãe se transfigura, 
Por divino encanto, 
Numa Virgem pura!

Poema de Guerra Junqueiro


segunda-feira, 26 de novembro de 2012

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

10000 crianças passam fome em Portugal (A)

Mais de 10.000 crianças passam fome em Portugal! 



QUE A NINGUÉM FALTE O PÃO! 

Em pleno século XXI são cada vez mais assustadoras estas tristes notícias que diariamente a comunicação social e o próprio governo nos “bombardeiam”, nomeadamente a fome que se alastra e a perda de habitação, com as terríveis consequências para quem é atingido, bem como a repercussão na própria sociedade. 
Esta fanática política de austeridade que gera o desemprego e o galopante aumento do custo de vida que atinge quase todos, levaram a miséria a muitos lares que eram felizes e que hoje lhes falta praticamente tudo! 
Em muitas casas – milhares, meu Deus! – há irmãos nossos que já nem sequer têm uma sopa e uma fatia do “pão nosso de cada dia” para comerem e darem aos filhos, pão que a ninguém devia faltar. 


Tanta miséria declarada e outra tanta escondida, a viverem sem rendimento algum ou parcos euros de rendimento de subsistência, as pessoas socorrem-se nas famílias ou nos amigos – se os tiverem – indo em última instancia às instituições de solidariedade social. 
Para além das soluções – urgentes!! – de concertação social que todos ansiamos e aguardamos que governo e “troikas” tragam aos Portugueses, sabemos todos que há muitos ricos, muita gente que vive sem problemas de ordem material e não sabem o que é “fome” ou “despejo” de sua casa. 
Julgo que esses – geralmente empresários - deviam, nestes momentos tão críticos que Portugal atravessa, ajudar mais – há tanta forma de o fazer! – aqueles que neste momento lutam diariamente para ter que comer para si e para os seus e sobretudo não termos de ver tantas crianças – o futuro do nosso País! – serem mal alimentadas ou passarem mesmo o dia apenas com a refeição que usufruem nas escolas, fruto das desgraças a que tantos lares chegaram e infelizmente muitos já se desfizeram e separaram pais de filhos!


Continua...

10000 crianças passam fome em Portugal (B)

APELO SOLIDÁRIO... COM SENSIBILIZAÇÃO POÉTICA 

Fiz uma recolha literária e deixo aqui O APELO em forma poética que ao longo de décadas alguns autores eternizaram no papel e apelaram ao coração das gentes guerreiras e solidárias, para que deiam o que poderem e que não lhes faça falta a quem conheçam e estejam a necessitar, ou então deiam nas campanhas de recolha de alimentos e bens, que decorrem ao longo do ano pelas instituições autorizadas e credíveis com o fim de ajudarem e salvar do infortúnio milhares de cidadãos que perderam tudo! 


 APELO ESPECIAL... AOS RICOS 


Vocês que podem mais, POR FAVOR deiam mais! 
Deiam a quem não tem que comer! 
Não expulsem as pessoas das casas enquanto estas não tiverem como pagar! 
Empreguem mais pessoas nas vossas empresas! 
Olhai que se “isto” for à bancarrota, também vós ficais sem nada! 
Ajudai! 
...E cá no fundo do coração pressinto que Deus também vos ajudará ainda mais!


Continua...