terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

3ª Edição “Matança do Porco” (1)

Mondim de Basto

Olá, Companheiros e Amigos

No passado dia 8 deste Fevereiro inicialmente pluvioso, a Freguesia de Mondim de Basto realizou a sua 3ª Edição da “Matança do Porco”.
Trata-se de um “evento” já enraizado e consta de um calendário de actividades que esta Autarquia local proporciona aos habitantes, tendo como finalidade reviver as tradições da terra.
Desde a 1ª Edição que vem sendo um grandioso convívio e atrai todos os anos algumas dezenas de Turistas/Caminheiros que gostam desta terra e sentem-se felizes por participar e confraternizar com as suas simpáticas gentes.

Tal como nas edições anteriores, manteve-se o programa habitual, que se iniciou logo pela manhã com um passeio pedestre, desta vez de 9 km, calcorreando veredas e caminhos com paisagens deslumbrantes (embora hoje de cor mais cinzenta) e visitando locais de interesse patrimonial da Freguesia.
Com a mesma sorte do ano passado, o S. Pedro não ajudou e nem deu tréguas, embora fosse um pouco mais moderado, pois a “chuva de tolos” que não parou de cair ao longo de todo o dia, ao contrário de 2008 não causou, graças a Deus, danos físicos a ninguém.

Demos início à caminhada, saindo do Parque de Campismo bem agasalhados e quase todos munidos de guarda-chuvas erguidos ao céu cinzento.
Ainda assim, qual quadro multicolor reflectindo um arco-íris e representando a nossa redenção e conformismo, que não qualquer desalento, tal era a boa disposição patenteada por todos.

À frente, o “Guia” Fernando Gomes, Presidente da Freguesia, que ao longo destes anos vem idealizando e concretizando belíssimos passeios. É ele o principal responsável e dinamizador desta fantástica modalidade em Mondim de Basto, onde não era divulgada e quase nula em termos de praticantes. Como “alavanca” cultural, desportiva e turística, hoje o seu trabalho está à vista de toda a gente.

Percorridos cerca de 4 km, chegávamos ao lugar de Carrazedo, onde houve uma pausa para o “mata-bicho”. Não faltaram as pataniscas acompanhadas pelo tinto regional, vinho do porto, biscoitos e o saboroso e quentinho café do “pote”.
Abrigados da chuva o melhor possível, lá nos desenrascamos e saboreamos este apetecível lanche da manhã. Todavia, e no que diz respeito ao tema “porco”, o factor meteorológico privou os cerca de 50 participantes de assistir ao “acto” da matança, nomeadamente nas últimas etapas do preparo. (ver post 2)

Depois destes momentos de degustação, visitamos a singela Capelinha do lugar e retomamos o percurso por um caminho transformado em autentico rio.
Só se via água por todo o lado! Seguiram-se momentos altamente fotogénicos!

Houve, inclusive, quem não se equilibrasse nas improvisadas poldras e mete-se o “pé na poça”! Depois é que não deve ter sido nada agradável caminhar os restantes quilómetros com os pés encharcados. É a vida de Pedestrianista!

Daqui seguimos por caminhos de acesso aos campos de cultivo, com seus tanques e represas, passando alguns núcleos de carvalhal e as tipicas, agora nuas, ramadas de vinha.

À nossa esquerda, escondida pela vegetação da Bouça da Lomba do Caniço, seguia a bucólica Levada de Piscaredo (óh! que saudades deste belíssimo percurso) e do nosso lado direito, bem no fundo da escarpa já ouvíamos o sussurrar das águas do Rio Cabril, precipitando-se em espectaculares cascatas.


Como gostávamos que este dia tivesse sido solarengo, para melhor admirarmos tanta beleza que ficou oculta por detrás da névoa. Ficará para uma próxima oportunidade.
Atravessamos o Cabril na Ponte de Tomil e depois de um ligeiro ascendente ao longo da Lomba da Tábua, caminhamos ladeados por uma pequena levada que julgamos ser alimentada pela Ribeira da Abessada.



Mais dois quilómetros e num ápice já entravamos no velho Caminho/Medieval que nos conduz a Vilar de Viando em direcção à Ponte Romano/Medieval, que atravessamos sem demoras e nos dirigimos nesta ponta final do percurso novamente para o Parque de Campismo.

Passava das 13.00H e a Organização deu ordens para o “Repasto”, tendo como principal comesaina o porco no espeto, “bisaro” que horas antes havia perecido às mãos dos Mondinenses. Que apetecíveis e saborosas aquelas fêveras! E os rojões! E os acompanhamentos! E o tinto da região! E depois aquela sopa quentinha!

Já sentes água na boca?! Tendes que vir um dia, para verem de que qualidade estou falando…
Recuperadas as energias perdidas na manhã, o resto da tarde foi de animação no Bar do Parque de Campismo, ao som do acordeão, com dançarico. Depois, continuou amena cavaqueira, onde alguns recordavam aquela fantástica 1ª Edição em 2007, na qual aderiram cerca de meio milhar de participantes durante todo o Evento. Foi obra!... para nunca mais esquecer!

A Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal (que gere o Parque) voltou a marcar presença neste tradicional evento, fazendo-se representar pelo Dirigente e Companheiro Jorge Vieira, também ele um apaixonado pelos encantos desta terra.

À Junta da Freguesia de Mondim de Basto dirigimos estas palavras:

Uma vez mais foi notória a dedicação e a qualidade destes eventos que vocês realizam, divertindo não só a população local, como atraindo cada vez mais visitantes a esta Vila.
Oxalá, (se os Mondinenses quiserem!) seja para continuar.
Bem hajam!

Obrigada por mais este maravilhoso programa!

A “Caramulinha” ficou feliz!

Até à Primavera!

Continua...

2 comentários:

PEGADA e BOTA disse...

ola
porque o que nos move e a natureza............www.pegadaebota.blogspot.com

boas caminhadas

Anónimo disse...

Gosto muito de vir aqui matar saudades de terras de Mondim, onde trabalhei em 1979-80. E então quando se descreve uma caminhada debaixo de chuva seguida de uma rica tainada, ainda melhor. Refrescante e substancial! Octávio Lima (ondas3.blogs.sapo.pt)